Cookies help us deliver our services. By using our services, you agree to our use of cookies. Learn more

Performance Polymers

Como plásticos biodegradáveis certificados contribuem para a Economia Circular

ecovio® fruit and vegetable bag

A BASF pesquisa polímeros biodegradáveis e biológicos há mais de 30 anos. O desenvolvimento contínuo desses materiais de alta qualidade e alto desempenho é feito em cooperação íntima com clientes, institutos de pesquisa e autoridades locais. O foco é sempre no melhor desempenho ambiental, seja com produtos feitos a partir de recursos fósseis ou renováveis. Para cada aplicação específica, a segurança ambiental, a eficiência econômica e as consequências sociais devem ser examinadas para todo o ciclo de vida de um produto, a fim de encontrar o material mais adequado para a aplicação certa e com o maior benefício para a sociedade. É preciso verificar também o quanto a biodegradabilidade oferece valor adicional.

Bioplásticos não substituem plásticos convencionais, mas podem complementá-los como materiais especiais que oferecem novas propriedades e possibilidades de aplicação. Eles são, por exemplo, a solução ideal em sacos para lixo orgânico, sacos compostáveis para frutas e legumes, embalagens compostáveis para alimentos ou mantas agrícolas. Empregados de forma correta, biopolímeros podem contribuir para reduzir o desperdício de alimentos, devolver nutrientes ao solo com maiores volumes de compostagem, e evitar o acúmulo de plásticos no solo.

Com isso, os bioplásticos dão uma contribuição importante para a Economia Circular, que busca usar produtos da melhor forma possível ao longo de toda a cadeia de valor, a fim de mantê-los em uso o maior tempo possível e recuperá-los ao fim da vida útil.

Dois grupos de produtos diferentes são designados por “bioplásticos”: plásticos “de base biológica” e plásticos “compostáveis”.

Os plásticos biológicos são, parcial ou totalmente, constituídos por matérias-primas renováveis. O ácido poliláctico(PLA), O poli-hidroxialquanoato (PHA), os amidos, a celulose, a quitina e a gelatina, por exemplo, pertencem a este grupo. Os plásticos biológicos podem ser biodegradáveis – mas nem sempre são. Entre os plásticos de base biológica, mas não biodegradáveis, estão o biopolietileno, os fibroplásticos naturais e os compostos de madeira e plástico.

Os plásticos biodegradáveis e compostáveis podem ser biodegradados por microrganismos. As bactérias especiais emitem enzimas que decompõem as cadeias flexíveis de polímeros do material em pequenas partes. Estes são então digeridos pelas bactérias juntamente com outros materiais orgânicos, tais como resíduos orgânicos. Água, dióxido de carbono e biomassa permanecem. Polímeros compostáveis podem, mas não necessitam de ser produzidos a partir de matérias-primas renováveis. Eles também podem ser baseados em petróleo bruto. A biodegradabilidade não depende da matéria-prima, depende inteiramente da estrutura química do polímero.


O termo "biodegradável" é frequentemente utilizado sem indicar claramente o seu significado. É importante mencionar sempre as condições ambientais em que ocorre a biodegradação e como ela ocorre. A degradação biológica depende de microorganismos naturais. É por isso que qualquer declaração sobre a biodegradabilidade só pode ser dada para o respectivo ambiente envolvente, que pode ser, e. uma instalação de compostagem industrial, uma pilha de compostagem doméstica ou solo agrícola. As declarações gerais sobre a degradabilidade ambiental não podem ser consideradas fiáveis. A prova da degradabilidade biológica completa é verificada através de certificados independentes baseados em normas aprovadas.


Em diferentes países, existem métodos de certificação especiais que institutos independentes utilizam para testar biopolímeros de acordo com a sua degradabilidade biológica, segurança química e ecotoxicidade. Só quando um material satisfizer os critérios de ensaio claramente definidos em condições de ensaio normalizadas pode ser marcado, por exemplo, como matéria compostável ou biodegradável no solo.

 

Para esta prova, diferentes países atribuem certificados de teste específicos que se baseiam em diferentes normas e classificações:
  • UE: DIN EN 13432
  • EUA: ASTM 6400
  • Japão: Green PLA
  • Austrália: AS 4736
ecovio<sup>®</sup> Standards

Biopolímeros da BASF na K Fair 2019

Na coletiva de imprensa em Dusseldorf, Katharina Schlegel, de Global Market Development Biopolymers, mostra como ecovio® contribui para fechar o ciclo de nutrientes rumo à economia circular.

BASF at K 2019: How ecovio® contributes to closing the nutrient cycle towards a circular economy

BASF na K 2019:

Como ecovio® contribui para fechar o ciclo de nutrientes rumo à economia circular

Notícias de pesquisa

biopolymers_biomasse.jpg

Estudo independente do ETH Zürich demonstra pela primeira vez a formação de biomassa quando PBAT se biodegrada no solo

Mantas finas de polietileno (PE) são usadas por agricultores em muitos países para aumentar o rendimento agrícola. Infelizmente, após a colheita, pode ser impossível para os agricultores recolher totalmente essas mantas, especialmente quando elas têm apenas alguns micrômetros de espessura. Com isso, resíduos de PE se acumulam no solo, pois não se decompõem. Agora um estudo do ETH Zürich, na Suíça, demonstrou pela primeira vez que micróbios do solo podem se alimentar de películas feitas do plástico tereftalato de polibutileno adipato (PBAT). Os microrganismos usam o carbono do polímero tanto para gerar energia como para formar biomassa. Isso significa que o PBAT se degrada biologicamente no solo, e não permanece em forma de microplástico como o PE.

Projetos: Como bioplásticos comprovam seu valor na prática

ecovio<sup>®</sup> Biobeutel

Consultoria e assistência: Qual material é o melhor para a sua aplicação?

Para quais aplicações é realmente sensato e sustentável o uso de polímeros biodegradáveis? Indústria, consumidores e políticos precisam encarar cada vez mais essa questão. A BASF conta com especialistas competentes que oferecem apoio para análises de eficiência ecológica e ciclo de vida com conhecimento aprofundado. Ao comparar o impacto ecológico de várias alternativas de produtos, é possível examinar qual produto oferece quais tipos de benefícios ambientais.

Leia mais: Como os bioplásticos contribuem para a sustentabilidade

Nossos produtos